top of page
Pastor Nilton - O Que É O PecadoPr Nilton Oliveira
00:00 / 1:15:59

O QUE É O PECADO?

 

EXÓRDIO:

 

Sempre que quisermos saber ou compreender determinado assunto, devemos investigar sua origem, base e fundamento, para não incorrermos no risco de uma compreensão superficial e distorcida de seu real significado.

 

DEFINIÇÃO:

Comecemos pela definição do que é pecado – 1João 3:4:

"Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei." 

Ora, se o pecado é a transgressão da lei, e a lei faz parte da Velha Aliança, como é que ficam os que estão na Nova Aliança?

Romanos 4:15 responde a esta indagação: porque a lei suscita a ira; mas onde não há lei, também não há transgressão. Vejamos o que diz Romanos 5:13: Porque até ao regime da lei havia pecado no mundo mas o pecado não é levado em conta quando não há lei. Por que eu sei que não estou debaixo da lei? Porque a própria Bíblia me garante e faz esta afirmação em Romanos 6:14: Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. Quem é que não está debaixo da lei e sim da graça? Todo aquele que toma conhecimento e acredita que foi incluído no corpo de Jesus na cruz do calvário – João 12:32: "E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo".

 

Acreditando nesta obra que Cristo realizou em meu benefício, a Bíblia me informa que eu morri para a lei – Romanos 6:1-7, o apóstolo Paulo está dizendo que não podemos ignorar este fato: Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.

 

"Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição, sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado."

 

Para que não paire nenhuma dúvida acerca deste fato, o apóstolo Paulo diz em Romanos 7:4 o seguinte: Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus. Logo, já não estou debaixo da lei do pecado e da morte, e também não há lei para ser transgredida, pois a lei do Espírito Santo, da Vida em Cristo, me livrou da lei do pecado e da morte – Romanos 8:1-2: Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito, porque a lei do Espírito da vida em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.

 

ARGUMENTAÇÃO:

 

Devemos sempre partir do preceito Bíblico. Diante da afirmação do Evangelho escrito por João 1:29: No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! Devemos acreditar que Jesus veio para tirar o pecado do mundo. Associamos o texto de João 1:29 com 1João 3:5-6: Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados, e nele não existe pecado. Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu. Na junção de tais textos, devemos fazer a pública confissão da Palavra de Deus que é a verdade e nos traz esta realidade espiritual.

 

Devemos fazer a análise que o texto merece. Quando o texto bíblico diz que Jesus veio tirar O pecado do mundo (João 1:29); que aquele que pratica O pecado transgride a lei (1João 3:4), devemos concluir que a vogal “O”, é artigo definido, o que significa não haver outro pecado. A conclusão é a mesma de quando lemos João 14:6: Respondeu-lhes Jesus: Eu sou O caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. Jesus está dizendo: Eu sou O caminho.... Ora, isto quer dizer: é O único caminho, não há outro. Da mesma forma, O pecado é único, é aquele que Jesus se referiu ao anunciar a vinda do Espírito Santo em João 16:8-9: Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo; do pecado, porque não creem em mim.... Que pecado é este? A resposta está no versículo 9: INCREDULIDADE.

 

Toda pessoa que não acredita no que está escrito na Palavra de Deus, não crê no que Deus fala, comete O PECADO. Este pecado – INCREDULIDADE -, é a fonte geradora dos pecados. Vejamos como isso faz sentido e toda a base está sedimentada na Bíblia Sagrada: 1Pedro 2:21-24 diz que: Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos, o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca; pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje, quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente, carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.

 

Jesus carregou em seu corpo na cruz os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para DEUS. É importante frisar a ordem do texto Bíblico: Mortos para o pecado, vivamos para Deus. Isto quer dizer que nenhum pecador vive para Deus, pois sua natureza pecaminosa não permite ter relacionamento com Deus que é Santo. É preciso receber a natureza divina através da morte e ressurreição no Corpo de Cristo, na cruz do calvário, para só aí, então, viver para Deus.

 

Ora, na cruz, Jesus destruiu a natureza pecaminosa que é a fonte geradora de pecados. Daí podemos entender Romanos 6:1-2: Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos? Sem a morte do pecador no Corpo do Senhor Jesus na cruz do calvário não há vida cristã, não há cristianismo, não há relacionamento com Deus e não há nova criatura, pois sem a morte do corpo de pecado, que é a fonte geradora de pecados, não há vida de Cristo - Gálatas 2:19-20: Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim. Ninguém vive para Deus sem experimentar a morte da natureza pecaminosa no corpo de Cristo na cruz do calvário.

 

Pois bem, o que a Bíblia Sagrada está dizendo com isto é que a justiça de Deus se cumpriu na cruz. Vejamos em 2Cor.5:21: Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. A sentença proferida por Deus em Ezequiel 18:20: A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai, a iniqüidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este. Esta sentença foi cumprida no Corpo de Cristo na cruz do calvário, daí a necessidade da inclusão de todos os pecadores (João 12:32) em seu corpo naquela cruz, isto porque: pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus (Romanos 3:23). Em Mateus 5:17 Jesus fez a seguinte afirmação: Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Portanto, a sentença proferida por Deus foi cumprida, executada no Corpo do Senhor Jesus, na cruz do calvário.

 

A justiça de Deus é o cumprimento da lei, pois nenhum juiz faz justiça se não aplicar a lei. Nesse sentido, Deus aplicou a lei e Jesus cumpriu a lei, não a revogou. E se eu acredito que fui atraído no Corpo de Jesus (João 12:32) eu também cumpri a lei da morte em Seu Corpo, naquela cruz - Romanos 6:6-7: sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado. Morte do Velho Homem, da velha natureza pecaminosa que herdamos de Adão.

 

CONCLUSÃO:

 

    À vista dos textos transcritos devemos chegar à seguinte conclusão:

 

Todo aquele que continua debaixo da lei e não da graça, porque não teve conhecimento da verdade ou por incredulidade e dureza de coração, continua sendo pecador e pertence ao diabo - 1João 3:8-9: Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo. Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. Vimos em João 1:29 que Jesus veio para tirar o pecado do mundo e em Romanos 5:12,13,18-21 lemos o seguinte: Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens porque todos pecaram.

 

Porque até ao regime da lei havia pecado no mundo, mas o pecado não é levado em conta quando não há lei. Pois, assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como pela desobediência de um só homem todos se tornaram pecadores, assim também por meio da obediência de um só poucos se tornarão justos. Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas, onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor. Você crê no que está escrito? Foi isso que Deus fez por mim e por você, em benefício da raça humana, você realmente crê?

 

Deus não tem comunhão com o pecador, pois o pecado separa o homem de Deus - Isaías 59:1-2: Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

 

Deus não atende a pecadores, mas somente aqueles que estão em Cristo são ouvidos por DeusJoão 9:31: Sabemos que Deus não atende a pecadores; mas, pelo contrário, se alguém teme a Deus e pratica a sua vontade, a este atende.

 

Os pecadores não têm comunhão com Deus e, por conseguinte, não prevalecem na congregação dos justos - Salmo 1:5-6: Por isso, os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores, na congregação dos justos. Pois o SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá.

 

Jesus morreu naquela cruz para me justificar do pecado, como posso continuar sendo pecador? – Romanos 5:8: Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Acreditando que fui incluído naquela morte (João 12:32), a Bíblia diz que estou justificado do pecado – Romanos 6:7: porquanto quem morreu está justificado do pecado. Quem não crê continua a se justificar diante de Deus, mas Deus não ouve, porque a obra remidora foi concluída por Cristo.

 

O JUSTIFICADO em Cristo desfruta da paz Romanos 5:1: Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; Quem não goza dessa paz vive em conflito e tenta, em vão, se justificar diante de Deus.

 

Todo aquele que procura se justificar diante de Deus e não crê na sua justificação no Corpo de Cristo, continua sendo pecador e Cristo não pode viver nele – Gálatas 2:17: Mas se, procurando ser justificados em Cristo, fomos nós mesmos também achados pecadores, dar-se-á o caso de ser Cristo ministro do pecado? Certo que não!

 

O desconhecimento desta obra e realidade espiritual mantém as pessoas na ignorância de continuarem pedindo à Deus perdão pelos seus pecados. A Bíblia Sagrada informa que Deus já os perdoou em Cristo na Cruz e não mais se lembra deles - Hebreus 10:10-18: Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas. Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia, a exercer o serviço sagrado e a oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados;

 

Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados. E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei, acrescenta: Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniqüidades, para sempre. Ora, onde há remissão destes, já não há oferta pelo pecado.

 

Como pagar uma conta que já foi cancelada, uma dívida que já foi quitada? Pedir ao credor que me perdoe por uma dívida que já foi paga é uma ofensa, insulto, desfazer do que já foi consumado ou não acreditar na obra realizada por Jesus na cruz (Colossenses 2:13-15): E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os vossos delitos; tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz; e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz. O que é que resta a ser feito depois desta obra consumada e deste triunfo de Jesus sobre o pecado? A resposta é negativa: NADA!

 

A única coisa que nos resta é acreditar para o nosso próprio bem, pois Deus não vai sacrificar novamente Seu Filho (Hebreus 10:12-14): Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, aguardando, daí em diante até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados.

 

Há apenas uma explicação para tudo isso: Romanos 10:1-4: Irmãos, a boa vontade do meu coração e a minha súplica a Deus a favor deles são para que sejam salvos. Porque lhes dou testemunho de que eles têm zelo por Deus, porém não com entendimento. Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus. Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê. Este é o típico quadro religioso, das tradições e da justiça própria, pois as pessoas desconhecendo a justiça de Deus (2Cor.5:21), estabelecem a sua própria justiça e não se sujeitam à que vem de Deus: Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.

 

Por derradeiro, devemos estabelecer um raciocino muito simples: Quantas vezes Adão pecou contra Deus para que morresse para Deus? Quem era Satanás e quantas vezes ele pecou contra Deus para que se transformasse de anjo de luz em príncipe das trevas? Quantas vezes o povo não acreditou que podia entrar na terra de Canaã (Números 13:31-33) e por não acreditar no que Deus tinha falado, pereceu toda aquela geração no deserto ao longo de quarenta anos?

 

A pergunta que se segue também é singela: Deus mudou? Deus agiu de um modo no passado e agora age de outro? Vejamos que diz Hebreus 13:8: Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre. E mais: Você realmente confia em Deus e no que está escrito em Sua Palavra? Veja se realmente confia: Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca (1João 5:18). Você realmente crê no que está escrito neste texto?

 

Em resumo, a questão é: Recebemos uma herança espiritual, onde tudo é pecado, mas não paramos para analisar à luz das páginas das Escrituras Sagradas o que realmente é pecado e qual é o seu significado. Quando fazemos esta análise, vemos o quão distante caminha a raça humana – o mundo religioso - daquilo que Deus diz em Sua Palavra – Efésios 4:17-18: Isto, portanto, digo e no Senhor testifico e não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração...

 

Iniciamos com o texto que define o pecado como a transgressão da lei e vamos encerrar esta breve meditação com o texto que fala da nossa vitória sobre a morte, o pecado e a lei, nas palavras do apóstolo Paulo: Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó morte, a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças à Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo (1Cor.15:55-57).

 

Tenhamos a humildade de concordar com o que Deus fala e deixemos os conceitos e preconceitos de lado, pois eles nos levam para o inferno, mas o que Deus fala nos coloca no CÉU, em Cristo. Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém! (Romanos 11:36).

 

Deus te abençoe em nome de Jesus!

 

Pr. Nilton Severiano de Oliveira

bottom of page